Edézio Valle


MANIFESTAÇÃO PÚBLICA CONTRA O CRIME DE FEMINICÍDIO.

Gostaria muito que aceitasse minha indicação para a leitura e observação de fotos, na excelente reportagem, publicada em www.jrdiario.com.br
Trata-se de uma passeata, organizada por um grupo de pessoas, realizada na Avenida João Pessoa, no sábado (13) de julho de 2019, na cidade de Quatiguá-Paraná, cidade esta, onde nasci. Eu estive presente na passeata! Foi uma manifestação contra os dois casos de feminicídio que ocorreram este ano.
A seguir o texto da reportagem ( as fotos você pode conferir no endereço eletrônico ), acima:
Vestidas de preto e com lenços roxos, um grupo de mulheres se reuniu em um ato público organizado, na manhã deste sábado (13), na Avenida Dr. João Pessoa para manifestar contra os dois casos de feminicídio que ocorreram este ano. A mobilização é uma resposta de um grupo intitulado "Combate ao Feminicídio" contra os assassinatos de Luciane Rita e Camila Borges ocorridos no primeiro semestre de 2019, além diversos tipos de violência às quais as mulheres estão submetidas no dia-a-dia. Segundo estimativa, mais de 500 pessoas participaram, na maioria mulheres e crianças, segurando cartazes com as mais variadas frases de protesto contra o feminicídio e pedido de justiça para ambos os bárbaros crimes.
A passeata saiu às 9h30 defronte ao prédio do CRAS situado no Jardim Primavera juntamente com os pais da vítima Camila Rocha, percorrendo a Rua Dona Antonia Mocelin Blanco, acompanhados por moto-som e uma viatura da Polícia Militar. Antes de adentrarem a avenida principal, o grupo ainda se encontrou com a familia de Luciane que se integrou à passeata.
Ao percorrerem o início da avenida principal fizeram uma parada em frente à lanchonete Buenos Lanches, onde Luciane Rita trabalhava à noite, a para uma oração pelas vítimas. Luciane Rita trabalhava durante o dia em uma montadora de móveis como assistente administrativo.
Quando a passeata chegou na prefeitura municipal, às 10hs, outro grupo formado de professores do Colégio Estadual João Marques da Silveira e CMEI Santa Maria, além de servidores públicos uniu-se à marcha. Neste momento, um carro de som acompanhou a manifestação.
A maioria dos estabelecimentos comerciais decoraram suas vitrines com tecidos e balões pretos, cartazes com indicação de luto.
Já na área central, lideranças do movimento fizeram um apelo por mais respeito e por justiça às mulheres assassinadas na cidade. Durante o ato foram distribuidos copos de água cedidos pela Sanepar.
Entre protestos de “Justiça por Luciane e Camila” e “Nenhuma a menos”, houve pedidos às autoridades para que o ex-marido de Luciane,que confessou ter assassinado a ex-esposa, seja punido na forma da lei, além de celeridade nos dois casos de feminicídio.
O grupo "Combate ao Feminicídio" criado a partir do aplicativo whatsapp já conta com 390 participantes, todas mulheres, divididas em dois grupos. Elas pretendem continuar e ampliar o movimento pela conscientização da violência doméstica.
O Hospital de Caridade São Vicente de Paula també aderiu ao movimento. A fachada foi decorada com balões e cartazes. Segundo as enfermeiras, muitas mulheres chegam com diversos hematomas, escoriações, cortes causados pelos seus companheiros e a maioria absoluta se nega a fazer a denúncia.
Também presente, a Ordem dos Advogados de Santo Antônio da Platina veio especialmente para o evento e tamb[em divulgar um movimento que acontecerá no município, no dia 22 de julho, com o mesmo tema: Feminicídio.
A passeata terminou por volta das 11hs concentrando-se no final da avenida.
Feminicídio
O feminicídio é o assassinato intencional e violento de mulheres em decorrência de seu sexo. Segundo a lei, os homicídios envolvendo mulheres são considerados feminicídios quando o crime envolve violência doméstica e familiar e menosprezo ou discriminação à condição de mulher. As motivações do feminicídio mais usuais são o ódio, o desprezo ou o sentimento de perda do controle e da propriedade do homem sobre a vítima do gênero feminino.

Caso Luciane Rita
A assistente administrativo moradora em Quatiguá, de 30 anos foi assassinada e seu corpo queimado dentro do próprio veículo no último dia 07 em Guapirama. O suspeito é seu ex-marido, que chegou a confessar o crime. Luciane foi encontrada dentro de um veículo incinerado e seu corpo ainda permanece no IML de Curitiba. O acusado se encontra preso na carceragem da delegacia de polícia de Joaquim Távora.
Caso Camila Borges
Em fevereiro, a dona de casa Camila Domingues Borges, de 28 anos foi assassinada pelo ex-companheiro com um botijão de gás. O processo está suspenso desde que a Justiça declarou que o réu alegou problemas mentais. Permanece solto.
A Prefeitura Municipal realizará um evento em parceria com o Governo Estadual e a OAB de Santo A. da Platina como forma de prevenção e informação às famílias. Nos dias 22 e 23, o Onibus Lilás do governo estará na cidade com os mais diversos atendimentos.
Para a organização da passeata, vários colaboradores foram imprescindíveis para o êxito da manifestação. Houve inclusive um vídeo do apresentador Ulisses Costa da TV Bandeirantes apoiando o movimento, postado nas redes sociais na noite de sexta-feira(12). O grupo agradece o apoio de:
- Buenos Lanches
- DJ PERU
- Lililove moto-som
- Disk Farma Ágape
- Oficina do Batata
- JP Artes Gráficas
- Alexandre do Oba Oba
- Vera Lúcia Mario
- Norma Sueli Ciconini
- Rafaela e Josué de Pádua Melo (vice-prefeito)
- Vereador Chrystian Coser
- Vereadora Silvana Cândido
- Vereador Pastor Eduardo
- Polícia Militar de Quatiguá
- Sanepar
- Secretaria Municipal de Assistëncia Social
- Prefeitura Municipal
- JRDiario
- e em especial a todos os veículos de comunicação que se uniram para divulgar a passeata.

Fonte: Redação JRDiario - Fotos: Walter e Simone Chiusoli - Postado em 13/07/2019
Edézio Luiz Valle
. Graduado em Direito pela UENP;
. Graduado em Pedagogia pela UEPG – Universidade Estadual de Ponta Grossa.
. Especialista em Formação Política para Cristãos, pela PUC do Rio de Janeiro, através do Centro Nacional de Formação Política “ Dom Helder Câmara ” – Brasília;
. Presidente do Asilo São Vicente de Paulo de Joaquim Távora- Pr – período 06/2011 a 06/2013;
. Vice-Presidente do Conselho Municipal de Assistência Social de Joaquim Távora – Pr – período 06/2011 a 06/2013;
. Sócio-Fundador das APAEs de: Quatiguá- Pr e Santana do Itararé – Pr;
. Foi secretário do Conselho Administrativo da Paróquia Nossa Senhora Aparecida de Quatiguá – Pr, por um período de quatro anos.
. Ex-secretário ( durante três meses em 2015 ) da Diretoria do Hospital de Caridade São Vicente de Paulo de Quatiguá.
. Colunista colaborador do Jornal Regional Notícias e Jornal Regional Diário.
. É Empreendedor Rural: Agrossilvicultor e criador de gado bovino de corte.
. Ex – bancário, tendo trabalhado dezessete anos no Banco do Estado do Paraná S/A, e mais cinco anos no sucessor, Banco Itaú S. A.

Fonte: - Postado em 15/07/2019



Copyright 2019 - Todos os Direitos reservados