Praça de pedágio cobrará R$ 14,80 em Cambará


O Tribunal Regional Federal da 4ª Região determinou a suspensão da cobrança de pedágio na praça de arrecadação instalada no quilômetro 31 da BR-369, entre os municípios de Cambará e Andirá em dezembro de 2008.Dez anos depois, agora como o fechamento da praça de Jacarezinho, na divisa com São Paul(Ourinhos), a concessionária reabre as cancelas na vizinha Cambará (distante 20 KM de Jacarezinho) assim que estiver tudo ajustado.O trabalho de reinstalação começou debaixo de chuva nesta sexta-feira (fotos).
Assim que a praça em Cambará ser reativada esses serão os valores : R$ 14,80 para automóveis da categoria 1 e 2; R$ 22,20 para os de categoria 3 e R$ 29,60 para categorias 4 e 5.
Camionetes, ônibus, motocicletas e furgões terão outros preços diferentes. As cabines de cobrança ainda estão fechadas.
Além do fechamento em Jacarezinho sexta-feira à tarde, também foi cumprida a ordem de reduzir em 26,75 % os preços das tarifas na praça de Jataizinho, perto de Londrina.Para carro,de R$ 22, 00 passou para R$ 16,10 (foto).
A cobrança em Cambará começou em 1998, pois foi o trecho inicialmente licitado. Por termo aditivo a praça foi transferida para Jacarezinho, em novembro de 2002.Desde então, houve diversas “batalhas” jurídicas envolvendo o caso.
A Triunfo Econorte foi constituída em novembro de 1997 para administrar o Lote 01 do Anel de Integração das Rodovias do Estado do Paraná. São 341 Km distribuídos em cinco rodovias – três estaduais (PR 323, PR 445 e PR 090) e duas federais (BR 369, BR 153).
                                                     
A sede administrativa da empresa fica em Londrina.A empresa gera aproximadamente 700 empregos diretos e indiretos. Desde o início de outubro deste ano as seis concessionárias de pedágio do Paraná estão sob intervenção administrativa por determinação da Governadora Cida Borghetti. A ação busca assegurar o repasse de toda e qualquer informação.
A intervenção foi recomendada pela Controladoria Geral do Estado (CGE) e pela Procuradoria Geral do Estado (PGE), após análise dos fatos apurados pela Operação Integração II, da força tarefa Lava Jato.

Seis oficiais da reserva da Polícia Militar passaram a trabalhar dentro das concessionárias de forma a impedir a continuidade de atos considerados ilegais ou irregulares, facilitar o acesso das autoridades aos documentos das empresas e garantir respostas, dentro dos prazos, às demandas da Justiça. Dados e informações que podem ser úteis às instruções processuais 

Fonte: jrdiario com valcir machado - Postado em 26/11/2018



Copyright 2018 - Todos os Direitos reservados