Justiça decreta prisão preventiva de suspeito de matar ex-mulher em Guapirama


A Justiça decretou a prisão preventiva do homem suspeito de matar a ex-mulher em Guapirama, no Norte Pioneiro. O crime ocorreu no domingo (7).

Segundo a Polícia Militar (PM), Luciane Rita, de 30 anos, foi espancada e teve o corpo queimado pelo ex-companheiro. O corpo dela foi encontrado queimado no banco de trás do próprio carro. O suspeito, Adelmo do Prado, de 27 anos, foi preso horas depois e, conforme a polícia, confessou o crime.
Na audiência de custódia(veja vídeo abaixo), Adelmo do Prado, de 27 anos, prestou depoimento por cinco minutos. Logo no começo, contou que se relacionou com a vítima por cinco anos, mas que se separaram há dois meses. O casal teve duas crianças, de 2 e 3 anos, nesse período.
A última pessoa que teve contato com Luciane foi Adelmo, que esteve na casa da vítima na hora do almoço.
“Só tinha ido na casa dela pegar as crianças, mas precisei voltar para pegar DVDs para as crianças assistirem porque era meu dia de ficar com elas”, disse em depoimento.
No depoimento à polícia, ainda no domingo, o suspeito disse que a discussão começou por causa da pensão alimentícia e da guarda dos filhos.
Disse que convidou Luciane para conversar mais calmamente e que seguiram até uma estrada rural, onde pararam e desceram do carro discutindo. Adelmo disse à polícia que ficou irritado e deu um soco na cabeça da ex-mulher, que caiu desmaiada.
Ele achou a ex-mulher estava morta e a colocou no banco de trás. Disse no depoimento à polícia que pegou um isqueiro e ateou fogo no carro. Depois disso, falou que se arrependeu, tentou tirar Luciane do veículo, mas não conseguiu.
No entanto, no depoimento dado à Justiça, o suspeito mudou a versão dada e colocou em dúvida a acusação de que matou a ex-companheira.
“Eu estava algemado, e o policial falou assim ‘a casa caiu, a casa caiu, melhor contar e falar a verdade’. Fui na casa dela, confesso, pegar uns DVDs. Tenho como comprovar que estava com as crianças no meu dia de visita. Eles [policiais] foram perguntando e eu fui confirmando”, disse.
Mesmo com relatos diferentes da versão inicial, a juíza converteu a prisão em flagrante em preventiva, por tempo indeterminado. Ela entendeu que Adelmo deu socos e pontapés na vítima, demonstrando frieza e alto grau de periculosidade, impedindo que ele responda ao inquérito em liberdade.(link do depoimento: www.youtube.com/watch)

Fonte: G1 - Postado em 09/07/2019



Copyright 2019 - Todos os Direitos reservados